domingo, 11 de abril de 2010

Por que o mundo...

... é de pessoas sem sentimento? Por que o músculo cardíaco hoje é trocado pelo muque? Por que barriga é sinônimo de escroto? Por que as pessoas não respeitam as diferenças? Por que a sociedade, hoje em dia, pega, mas não namora? Por que mulheres inteligentes ficam com caras popularinhos? Por que o mundo mudou tanto em pouco tempo? Por que as pessoas não se importam mais com a sociedade? Por que achamos que somos pessoas esclarecidas? Por que nossa mente é falsamente aberta? Por que as juras de amor são tão enferrujadas? Por que temos que mostrar quem somos pelo físico e não pelo mental? Por quê?

Linhas e mais linhas...

...inimigas, linhas e mais linhas amigas... De um grupo seleto de combatentes a ponto de ser atingido por uma lança certeira, escapar do golpe é opção única, erro inimigo é uma impossibilidade iluminada. A um passo de se salvar ou de morrer. Resultado de uma ação de ataque. Tudo acontece em segundos.

sábado, 10 de abril de 2010

O que fica

Muitas vezes todos já devem ter visto eu reclamar de meu colégio... O Porto União. Mas algumas coisas ficam na gente, como essa foto, por exemplo... Ano passado foi o ano do cão para qualquer estudante, que assim como eu, não se enturma fácil. Jamais imaginei que algumas pessoas fossem lembrar de mim por mais que alguns meses.

Me refiro as duas primeiras pessoas da foto... A Érica e a Momi... Vocês também me fazem muita falta, por mais que eu nunca tivesse assunto, ou que eu acabasse nas zoeiras da turma... Relax, isso é passado. Amo vocês :) .

Att.
Tadeu R. Pinheiro

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Corrosão...

Sofremos uma intensa ventania, a qual continua por erudir nossos valores. Essa ventania é necessariamente a falta de conhecimento, super-inclusão, entre outros. Muita gente fala demais da conta, poder demais a quem não sabe nada, valorizar a opnião de alguém com pouca informação e estudo. Nossa sociedade, assim, vai indo contra o princípio de experiência, conhecimento, sabedoria. Afinal, até um gari, do alto de suas vassouras, pode ter opnião sobre os deputados de Brasília, mesmo que ele só esteja grifando algo que ele ouviu de noite na BandNews. Oras, todos tem direito a concordar ou não com algo, mas ninguém daria voz à um gari num debate político. Olha, lembre-se, gari aqui está referindo a pessoas com pouco estudo, e não a todos os garis, eventualmente algum gari pode ter chegado à esta situação por outra desgraça qualquer.

O fato é que para alguém ter uma opnião válida, precisa defende-la com argumentos, exibi-la numa discussão. Mas tudo bem, hoje isso não é mais necessário, o Zé sem dente tem tanta importância quanto o Intelectual que tá pensando quase em tempo integral nesses lances da sociedade. Por isso também que deveria-se examinar o cara que se candidata à um cargo político, pois no Brasil existem deputados que nem sabem ler e escrever! Quanto mais defender algo em uma discussão... No máximo vai ser tosco o suficiente para impor na base da força. Não é assim.

Certamente, o poder de representatividade deve ser atribuído apenas à alguém que além de engajado com os interesses do grupo que ele representa e também com conhecimento suficiente para argumentar, e provar que aqueles interesses são válidos. O que não pode acontecer no cenário atual, em que todos falam, e uma opnião papagaiada tem tanto valor quanto uma elaborada e defendida por argumentos. Tendência.

Não vejo saída para isso, as pessoas teriam que estar mais preocupadas com as outras do que com o próprio umbigo para que a situação melhorasse. Mais uma vez: Perdemos valores básicos.

Não mais... Obrigado pela paciência.

Beijinho para as minhas leitoras lindas.
Abraço para os leitores.

Até!

Att.
Tadeu R.P..

Sobrevivendo ao tempo

Esse blog certamente é a prova documentada da minha existência na Web, já que por todos os outros aspectos ela é totalmente questionável. Também documenta bem as fases, embora elas sejam pouco definidas. Talvez este blog, como nenhum espaço que eu tive na internet anteriormente ou posteriormente, tenha me sido tão útil, razão esta que me faz mante-lo. É um lugar em que eu posso publicar coisas por desencargo de consciência, se eu achar que, todavia, elas interessem a alguém.

Há pessoas que estão pensando mais nos assuntos sobre os que eu falo aqui ultimamente do que eu... São poucas, mas não pouquíssimas. Quando converso com elas, eu ponho-me a pesar o que foi dito com o que aqui escrevo, e realmente, o que escrevo aqui pesa bem menos. Pra mim, o que tem valido mais foi o esforço de relatar tais agonias, e com o advento da Web, ficou muito mais fácil fazer isso.

Outra coisa, pra mim isso é se diferenciar dos alienados da minha idade, a maioria nem quer saber dessas coisas. Alias, para entender o que aqui escrevo, é preciso entender primeiramente no estado em que eu me encontro. Não enamorado por circunstâncias inerentes à outra pessoa, e o que está unido à ela. Bem como reduzido à indissociável condição de N.D.P. (Já expliquei esta sigla aqui no blog, dê uma garimpada nos meses anteriores, por favor), então este lugar é para mim um armário onde guardo meus textos e que eventualmente alguém vem fuçar, porque pouca gente lê o blog. Mas tudo bem, eu gosto que mexam (:.

Só digo que se você veio aqui para ler coisas que eu já citei no post anterior, é melhor que nem venha. Eu já vi isso como esforço para furar o guarda-sol dessa sociedade, mas é muita coisa, logo considero aqui um Despejo de Memória, portanto, a quem interessar, claro, aqui existem coisas que eventualmente podem ser úteis, o que vai decorrer de a pessoa saber processar a informação. Não é à toa que eu escrevo num nível diferenciado, restrinjo o público que pretendo atingir.

Beijos às minhas queridas leitoras,
Abraços aos leitores mais valorosos,
Boa noite aos leitores.

Att.
Tadeu Pinheiro

sábado, 3 de abril de 2010

Uma chuva na janela...

... é o suficiente para pensar na vida. O sol realmente queima demais os meus gastos miolos aos meus 99 anos de idade, mesmo que eu ainda possua minhas faculdades mentais aos 15 anos. Ok.

Esse post é limitado, uma vez que é de cunho pessoal. Resulta de um pensamento contínuo, o amor por uma pessoa muito especial. Infelizmente um outro cara "pegou" essa pessoa. É, odisséia clássica. SimCity 10000 no ouvido para despertar, get up, coloca calça, camiseta e tênis Nike falseta, pega a Republic Vix à tiracolo, enfia o celular no bolso, bebe o leite rapidamente, escova a surrada e zuada dentição, pega a chave e põe-se ao caminho. Este cidadão também chega a um ponto de declive, ao olha para cima coloca um pé, para depois avançar com o outro, e jogar toda a corrente sanguínea ali, aqui, trabalha um músculo, enquanto isso os carboidratos se queimam, a força mental se divide, controles cerebrais. Até que enfim ele diz:
- Ufa, cheguei.
Não pára por aí, parecendo um coqueiro pós-chuva, joga seu corpo numa cadeira.
Após estar um pouco mais aceitável desce em direção ao atrium, encontra a pessoa especial. Dói no coração ter que conviver com uma combinação estranha, esquesita. Sabemos que isto não é de longo prazo, mesmo assim corta o coração.

O que resta é olhar para o mundo e matutar onde chega a sociedade, as pessoas e também você mesmo. A música que começa a tocar na Alpha bem quando eu estava escrevendo esse texto: Pais e Filhos, Legião. haha, interessante, me deu uma força ao escrever o post.

Agora, um beijinho para as minhas queridas leitoras...
Um abraço aos manos, manos leitores e leitores
Cumprimentos a quem passa aqui pela primeira vez, convido a ler os outros posts.

Att.
R. Pinheiro