quinta-feira, 29 de julho de 2010

6 da manhã

6 badaladas mortais para o sono e ameaçadoras para a semana de aula que se aproxima. Entendo que realmente não deveria estar aqui, porém, já que estou, comento aqui as histórias da madrugada.

E chega a ser engraçado como uma pessoa pode assumir diversas personalidades dependendo do lugar onde ela está. Mostra bem como o lugar influi no psicológico da pessoa de acordo com as forças que ele aplica nela.

Enquanto em São Paulo podemos conversar sério e brincando normalmente, sem passar dos limites, como que sentados em frente á uma lareira em um dia de frio, como bons amigos. Outrora, em outro lugar, distante, 163 KM, um lugar próximo ao Acre, provavelmente (Entenda, foi uma hipérbole ¬¬'), as conversas se dão do mesmo jeito que aqui, porém de uma forma que realmente sejam distantes, dando a idéia de que você se estressou com algo no lugar em que você está, porém isso não é claramente manifestado...

E também há um conformismo sério com as situações locais. Tão sério que impede que a pessoa que figura em frente a lareira não possa aparecer com tanta frequencia, pois prefere um lugar com pouco mais que 90 habitantes (Ou não sei quantos mil). Não digo que seja por um motivo idiota, até entendo... Gostaria que fosse menos volátil.

Forças do interior: Mudam a pessoa e agem como imã.
Não, esse post não é para o entendimento de todos.

Abraços,
T. R. P.

Um comentário:

Daniel SD disse...

É, é... complicado, man.